Você não é o seu currículo, você é o seu trabalho

Pegando na frase “Você não é o seu currículo, você é o seu trabalho” de Seth Godin, de facto não devemos ser definidos, no mundo do trabalho, apenas por um currículo, ainda que seja nele que colocamos todas as nossas habilitações e experiências.

No entanto, todos estes pontos não demonstram a nossa realidade, visto que ninguém sabe quantas horas de estudo e de esforço foram necessárias para conseguirmos alcançar os pontos fulcrais que mencionamos no documento, nem o que foi necessário fazermos para conseguirmos melhorar cada um deles, quer seja na nossa vida académica e pessoal, quer seja na nossa vida profissional.

Sem dúvida que não é um simples currículo que vai definir aquilo que somos, como profissionais, e muito menos aquilo que somos como ser humano. Quando digo ser humano, refiro-me ao facto de sermos uma pessoa com bons valores e princípios, respeito e, simultaneamente, termos compaixão pelos outros (sabermos ser um bom colaborador e um bom colega de trabalho). Hoje em dia, o que as empresas procuram não é, de todo, alguém que tenha a melhor média, salvo raras exceções, mas sim alguém que seja capaz de fazer um pouco de tudo ou, pelo menos, alguém que seja proativo, trabalhador, criativo, com vontade de aprender e, paralelamente, humilde q.b., claro.

Em suma, ao criar um bom currículo, tem de ter noção de que “você não é um currículo”. No entanto, é dele que depende para conseguir um trabalho. Com esforço, dedicação e empenho, consegue ser um excelente profissional, muito além daquilo que consta no seu currículo ou do grau académico que possui (ou não). Por isso mesmo é que as entrevistas são tão importantes para conseguir, por palavras, e em poucos minutos, demonstrar aquilo que é enquanto profissional.

 

Sobre o autor

Degree in Secretarial and Business Communication

Comentar

English EN Portuguese PT
Copy link
Powered by Social Snap