Serão os smartphones um problema climático?

Um grupo de especialistas avaliou os benefícios climáticos de tornar os dispositivos móveis com maior durabilidade.

Se aumentarem a vida útil dos smartphones até 5 anos, e de outros dispositivos elétricos, em apenas um ano, economizariam à União Europeia (UE) tantas emissões de carbono como retirar 5 milhões de carros das estradas anualmente, que é aproximadamente o mesmo número de automóveis que circulam em Portugal. Isto equivale a quase 10 milhões de toneladas de emissões CO2 anuais até 2030.

Estes números elevados estão associados à quantidade enorme de energia e recursos envolvidos na produção e distribuição de novos produtos, bem como a substituição de produtos antigos.

Factos do custo climático:

  • A produção dos smartphones da UE tem o maior impacto climático entre os produtos analisados;

  • O ciclo de vida completo dos smartphones da Europa provoca 14 milhões de toneladas de emissões CO2 por ano, que é cerca de 25% das emissões médias de Portugal nos últimos anos. Se aumentarem a vida útil destes dispositivos em apenas um ano, economizará mais de 2 milhões de toneladas de emissões;

  • A média de vida útil de um smartphone na Europa é de 3 anos, incluindo vendas anuais de quase 211 milhões de unidades;

  • Os computadores portáteis têm a duração de cerca de 6 anos.

Em 2021, todos os fabricantes terão que garantir que todos os produtos possam ser facilmente desmontados, e disponibilizar peças de reposição e informações de reparação para reparadores profissionais.

Estas novas regras devem ser adotadas pela Comissão Europeia, em setembro ou outubro deste mesmo ano.

 

Mariana Vieira

Degree in Secretarial and Business Communication.

Mais artigos do autor

Adicionar comentário:

Scroll Up